Precisando de
Home Care?

ou ligue para:
11 2534-9913

Meu pai tem condições de dirigir seu próprio carro?

Os motoristas idosos, principalmente acima de 80 anos, sempre serão uma preocupação constante para aos familiares e para a comunidade em geral. Com o aumento da expectativa de vida em todo o Brasil, o número de motoristas mais velhos já é significativo, gerando uma atenção maior para este problema, pois em pessoas idosas o risco de acidentes com automóveis pode ser maior, devido a baixa visão e aos reflexos mais lentos.

Principalmente, em família, esta preocupação e esta discussão serão sempre mais acaloradas e complicadas, pois apesar de existir o risco maior de acidentes com nossos pais mais idosos que dirigem, não podemos simplesmente mandar parar de dirigir seu carro, tomar sua carteira de habilitação e confiscar a chave do automóvel.

Leia algumas dicas, que podem ser usadas para observar se a preocupação é pertinente: seus pais têm maior risco de acidente dirigindo automóvel?

1- Somente observe por um tempo: peça carona para o pai ou para a mãe, dando desculpa que o seu carro está com problema e sinta realmente se há segurança devida na maneira de dirigir. Mas não deixe transparecer que você está fiscalizando e observando. Converse normalmente durante o trajeto e fique descontraído(a). Não deixe perceber a sua intenção.

2- Converse com os demais membros de sua família e veja se realmente existem histórias de quase acidentes ou “barbeiragens”, motivos de piadinhas e chacotas sobre a maneira dos pais dirigirem. Isto também vale para os amigos e vizinhos.

3- Perceba pequenos arranhões no carro dos pais, batidinhas inexplicáveis e se os pais desconversam sobre o assunto. Ou se o carro está em condições ruins de condução (pneus, carroceria, freios, não se troca o óleo regularmente, etc).

4- Se você notar que realmente existe o risco de acidente e que seus pais estão em condições precárias de dirigir seu próprio automóvel, e não percebem isto, está na hora de pensar em como fará para que eles aposentem as suas carteiras de habilitação. Mas com muito jeitinho e delicadeza, que isto não seja mais um motivo para brigas e discussões.

5- Uma boa maneira de colocar para os pais a necessidade de parar de dirigir é contando casos – reais ou fictícios – de pessoas da idade deles que tiveram problemas de trânsito e se acidentaram. E ver o que eles pensam sobre o assunto e, com muito jeitinho, perguntar sobre suas reais condições no volante. “Quem sabe se daqui há 3-4 anos não estaria na hora de parar de dirigir, não é papai?”

6- Procure sempre manter a calma a falar deste assunto, Nunca se exalte ou tente mandar nos pais. Isto somente geraria animosidades e, ao contrário, ficariam mais resistentes às suas solicitações. Mostre postura de quem quer ajudar e dê algumas soluções (fique mais disponível para levá-los aos seus compromissos, contrate um motorista, veja se ir de táxi é mais vantajoso, etc)

7- Existem casos que devemos ser mais firmes e rápidos nas soluções: Alzheimer chegando, Parkinson diagnosticado, problemas mais sérios com a visão ou problemas ortopédicos que impeçam a boa direção automotiva. Se sentir que não consegue resolver isto sozinho, se os pais estão resistentes a parar de dirigir, conte com a ajuda do médico da família. Explique ao médico a situação conflitante e potencialmente perigosa. Com tato e experiência, ele saberá conduzir esta demanda, já que as pessoas idosas escutam seus médicos também como uma autoridade a ser “obedecida”.

Autor: Márcio Borges

Extraído do Site Cuidar de Idosos

Tags:,
Atendemos toda em as cidades do ABC. Cuidamos de idosos em Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra!