Precisando de
Home Care?

ou ligue para:
11 2534-9913

Anote Tudo Sobre o Idoso Dependente!

O Brasil tem aproximadamente 22 milhões de pessoas idosas. Desses 22 milhões de idosos, pelo menos 3 milhões são muito dependentes de suas famílias, de cuidadores ou moram em casas de repouso ou asilos.

Cuidar de idosos dependentes não é um tarefa fácil, principalmente se o idoso apresentar doenças neurológicas, como Parkinson, Alzheimer ou AVC. Além da dependência extrema que podem apresentar, é comum perceber alterações de comportamento (insônia, agitação e alucinações) que estressam muito a quem cuida.

Muitos medicamentos, muitos exames, muitos médicos, rotina cansativa do familiar e do cuidador: acordar, higiene pessoal, trocar a frada, banho, medicação de jejum, café da manhã, medicamentos da manhã, levar para tomar sol, almoço, medicamentos da tarde, repousar depois do almoço,trocar a fralda, médico do dia, jantar, medicamentos da noite, acompanhar na televisão, medicamentos para dormir, trocar fralda para dormir, leite e biscoitos, colocar na cama… implorar para dormir (o remédio custa a fazer efeito…)

Uma boa dica para as famílias, para as cuidadoras e para as ILPIs é iniciar o costume, o hábito de anotar as principais rotinas de trabalho com o idoso: os medicamentos tomados, se urinou, se evacuou, se teve algum problema de saúde, anotar as orientações dos médicos e de outros profissionais de saúde (enfermeira, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição), enfim, ter um diário organizado e preenchido de maneira correta e cotidiana.

Quem já faz isto sabem como ajuda no cuidado dom o idoso dependente. Não podemos confiar 100% em nossa memória, estamos estressados e cansados com a rotina e com o trabalho de cuidar do idoso. Muitas informações que poderiam ser extremamente úteis para nós mesmos e para os médicos, se perdem no dia-a-dia da difícil tarefa de cuidar.

Portanto, anotem tudo sobre o idoso dependente. Não precisa ter riqueza de detalhes. Anotações simples, de forma simples, mas com ordem cronológica, com datas certas, com informações precisas:
– Como o idoso passou a parte do dia… Como o idoso passou a parte da noite…
– Urinou… Evacuou…
– Medicamentos da manhã… Medicamentos da tarde…. Medicamentos da noite…
– Quais foram as orientações dos médicos, dos outros profissionais de saúde, da própria família (para as cuidadoras)…

Repetimos sempre: o melhor remédio para um idoso dependente é uma família orientada e ciente de seu trabalho e de sua missão.

Anotem tudo!

Fonte:SiteCuidardeIdosos

Nunca Tome Remédio Por Conta Própria!

A cada cem idosos que tomam remédios regularmente, 44 seguem receitas com medicamentos considerados inadequados para eles. É o que diz estudo do farmacêutico André de Oliveira Baldon feito para a Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da USP. Ele ouviu mil idosos atendidos pelo SUS e analisou receitas de novembro de 2008 a maio de 2009, em Ribeirão Preto, interior de SP.

O número é muito maior do que o constatado em países como a Itália, onde 26% dos idosos não internados tomam medicamentos inadequados, e EUA (10%). A pesquisa mostra que a falta de conhecimento do médico ou farmacêutico e a lista restrita de opções de medicamentos são as principais causas do problema.

A lista de remédios em hospitais e postos que atendem pelo SUS é muito restrita, diz Baldoni. Assim, os médicos prescrevem o disponível, sem observar se pode ou não ser usado por idoso. Um antialérgico, por exemplo, pode aumentar a sonolência no paciente. Estudos provam que essa reação aumenta o risco de queda e fratura óssea. O ideal seria prescrever um antialérgico de segunda geração, menos forte, raramente encontrado no Php Aide SUS.

O levantamento mostrou ainda que 30,9% dos idosos tomam remédios por conta própria; 37,1% não usam os remédios conforme prescritos e 46,2% relatam reações adversas aos medicamentos.

Infelizmente, o balconista da farmácia não tem condições de receitar um medicamento, baseado em algum sintoma que a pessoa esteja relatando. É muito simplório achar que estando com dor de barriga, o melhor remédio seria o MEDICAMENTO X e que para dores nas pernas o MEDICAMENTO Z seria o melhor. Baseado em que? Cuidado, idosos, com uma nova especialidade não médica praticada pelos balconistas das farmácias: A EMPURROTERAPIA. Nas drogarias e farmácias estão mais preocupados em “passar” o medicamento que dê mais lucro, do que acatar com fidelidade a receita do médico.

Tudo isso, sem contar com as propagandas de rádio e tv, que sempre tecem maravilhas dos complexos vitamínicos, das cápsulas de ômega 3, que curam desde Alzheimer até artrite reumatóide e cancer… Inclusive, nenhum destes supostos remédios são avaliados e tem o selo de liberação da ANVISA.
Charlatanismo é crime!

Tome somente medicamentos que o seu médico receitar, baseado numa boa consulta e exames clínicos! Mais um lembrete: quando se toma medicação por conta própria, chamamos de auto-medicação. E não auto-recreação.

Fonte: Site CuidardeIdosos

Atendemos toda em as cidades do ABC. Cuidamos de idosos em Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra!